Sábios no Twitter | O “Retomar o Fôlego” do Guerreiro só pode ser usado em combate?

Pergunta e resposta no Twitter com os designers do D&D a respeito do uso da característica de Guerreiro “Retomar o Fôlego”.

@corymacdonald | Pergunta rápida: Retomar o Fôlego, do Guerreiro, é só usável em combate?

@mikemearls | Nope. Pode ser usado a qualquer momento.

Fonte: SageAdvice.eu | Fighter “Second Wind”. Usable combat only?

As aventuras mais populares no D&D Beyond

D&D Beyond trouxe a público em um vídeo de seu canal no Twitch alguns números acerca das aventuras oficiais do Dungeons & Dragons, elencando as mais visitadas e, de quebra, quais partes delas são mais consultadas. Esses números não representam vendas, apenas as visitas que elas receberam no site do D&D Beyond. Mas são bons para ter uma noção das aventuras que mais chamaram a atenção do público.

Claro, o tempo faz diferença quando falamos de números de visitas – há quanto mais tempo uma aventura está disponível na plataforma, mais vezes ela provavelmente será vista pelos usuários.

Gráfico com as aventuras com mais visualizações no site D&D Beyond.

Como podemos ver, a aventura mais recente, Waterdeep: Dragon Heist, empata com Curse of Strahd na liderança, sendo seguido por Rise of Tiamat e as demais.

O site EN World elencou o percentual das visitas de cada aventura e colocou ao lado o percentual de aceitação que estas mesmas aventuras receberam em seu site, para ajudar na comparação da aceitação geral delas pela comunidade de jogadores.

Ranking das aventuras mais vistas no D&D Beyond e seu percentual de aceitação no site EN World.

Por fim, o D&D Beyond soltou também um gráfico com os trechos mais visitados das aventuras.

Seções mais visitadas das aventuras do D&D Beyond.

Um padrão que eu vejo ao analisar esses gráficos é que o público parece estar gostando bastante de aventuras mais abertas e modulares (apesar de Princes of the Apocalypse ser bastante aberta e modular, e estar lá na rabeira em penúltimo lugar).

E que as seções mais consultadas das aventuras são as informações de cenário. Provavelmente o público esteja ávido por novos cenários para explorar em seus jogos.

Fonte: EN WorldThese Are DDB’s Most Viewed D&D Adventures

Sábios no Twitter | Um mago pode se queimar com Mãos Flamejantes?

Pergunta e respostas no Twitter com os designers do D&D a respeito dos usos da magia Mãos Flamejantes.

@seanbonney: Um mago poderia se queimar com Mãos Flamejantes? Suas mãos claramente não são afetadas, mas e seus pés?

Nope. O ponto de origem da magia não está na mesma área. O mago precisaria querer se queimar.

Mike Mearls, 04 de Julho de 2014

Fonte: SageAdvice.euCan a wizard Burning Hands himself?

Sábios no Twitter | O dano do truque é determinado pelo nível na classe ou o nível total do personagem?

Pergunta e respostas no Twitter com os designers do D&D a respeito do dano causado pelos truques (magias de nível 0) e como eles interagem com os níveis de quem o conjura.

@TinyConstruct: Amo o LdJ. Com relação aos truques: um conjurador que fez multiclasse determina o dano deles levando em conta seu nível de classe ou o nível total do personagem?

Um personagem com multiclasse usa seu nível de personagem para determinar o dano de um truque.

Jeremy E. Crawford, 23 de Agosto de 2014

Fonte: SageAdvice.euWith cantrips, does a multiclass caster use their character or class level for determining damage?

Série Fifth Edition Fantasy no Catarse

A Sagen Editora é uma empresa nova no mercado que firmou uma parceria com a Goodman Games (responsável pelo Dungeon Crawl Classics) para trazer para o Brasil as cinco primeiras aventuras da linha Fifth Edition Fantasy – uma linha de aventuras lançadas sob a OGL e compatíveis com o Dungeons & Dragons 5ª Edição. Você pode ler um pouco mais sobre as aventuras e a linha na nota de lançamento no próprio site da Sagen.

Faltando pouco menos de um mês para a conclusão da campanha no Catarse (que conclui dia 18 de Janeiro), o projeto se encontra mais de 95% financiado. Tudo indica que ele vai bater a meta, mas ainda há incerteza sobre as metas extras – o que significa aventuras extras!

Dá para apoiar até o dia 18 de Janeiro

Lá fora, a linha Fifth Edition Fantasy tem bem mais que cinco aventuras. A Goodman Games lançou quinze títulos dos mais variados, e a Sagen já ventilou sobre trazer outros produtos além dos primeiros cinco.

Com o anúncio da chegada oficial do D&D no Brasil pelas mãos da Galápagos Jogos, é possível que o volume de lançamentos nacionais para o sistema aumente. O que você acha disso?

Sábios no Twitter | O meio-orc pode usar ataques selvagens com ataques desarmados?

Algumas perguntas e respostas no Twitter com os designers do D&D a respeito do uso da característica de raça do meio-orc Ataques Selvagens para melhorar seus ataques desarmados.

Um Meio-Orc Monge poderia usar a característica Ataques Selvagens com seus ataques desarmados ou com a Rajada de Golpes? Ou com armas improvisadas? Obrigado! Grazie 🙂

Sim, isso não daria problemas.

Mike Mearls (@mikemearls), 20 de Agosto de 2014

Fonte: SageAdvice.euCan Half-Orc Monk use Savage Attacks trait with his unarmed strikes or Flurry?

A Galápagos é a editora do D&D no Brasil

O NerdBunker, do Jovem Nerd, anunciou hoje mais cedo de que a editora Galápagos Jogos será a responsável pela regionalização do Dungeons & Dragons 5ª Edição no Brasil.

Segundo Yuri Fang, CEO da Galápagos:

É uma honra poder trazer o D&D para o Brasil. […] Estamos muito animados com o anúncio, e trabalharemos com a linha completa de produtos por aqui. Sabemos que, assim como nós, os fãs brasileiros estão bastante ansiosos para ver o D&D no país.

A Galápagos promete lançar a linha completa do Dungeons & Dragons, iniciando a partir do segundo semestre de 2019.

Inquietação dos Fãs

Quem acompanhou a experiência da Galápagos Jogos com o Star Wars RPG: Fronteiras do Império não anda muito esperançoso com a notícia do D&D ser trazido pelo gigante dos jogos de tabuleiro. Eles acusam a Galápagos de ter largado a linha abandonada, sem lançamentos após o Kit Introdutório e o Livro Básico, e de ter embargado a compra dos produtos importados da linha nos principais distribuidores, como Amazon e Livraria Cultura.

Por conta disso, os fãs da linha nem eram agraciados com lançamentos novos, nem tinham a possibilidade de seguir comprando suplementos em inglês para conseguirem completar suas coleções. E agora, naturalmente, eles temem que esse modus operandi se repita e a Galápagos termine impedindo que eles comprem os livros de D&D importados.

Fonte: Jovem NerdDungeons & Dragons | Quinta edição será publicada no Brasil em 2019